top of page

Mudanças nas regras de títulos isentos de Imposto de Renda: O que você precisa saber

O cenário financeiro brasileiro está passando por mudanças significativas, com o governo tomando medidas para fechar as brechas que permitiam a captação de recursos com títulos isentos de imposto de renda. Essa decisão impacta diretamente investidores que apostavam em papéis como Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) e Letras Imobiliárias Garantidas (LIG).

 

O crescente interesse por esses títulos, impulsionado pelo aumento da taxa básica de juros (Selic), alcançou a impressionante marca de R$ 1,4 trilhão no final do ano passado. Neste artigo, vamos explorar as mudanças recentes e entender como elas podem afetar a rentabilidade desses papéis isentos de imposto de renda em comparação com os não isentos. 


banco central

O que muda na emissão de LCI, LCA, CRI e CRA

 

O Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu implementar alterações significativas no processo de emissão desses títulos. Uma das mudanças mais destacadas foi a ampliação do prazo mínimo de emissão das LCA para 12 meses e das LCI para nove meses. Essa medida visa aperfeiçoar o direcionamento dos recursos captados para projetos imobiliários e do agronegócio.

 

Em relação às LCA, o governo estabeleceu limites para a aplicação dos recursos pelos bancos. A partir de julho, por exemplo, esses recursos não poderão mais ser direcionados para operações subsidiadas pelo governo. Essa restrição busca assegurar que os benefícios fiscais concedidos estejam alinhados com os objetivos de fomentar o setor imobiliário e do agronegócio.

 

No caso das emissões de CRA e CRI, há uma mudança fundamental: títulos emitidos por empresas não relacionadas ao agronegócio e mercado imobiliário não poderão mais ser usados como lastro para essas operações. Isso ocorre devido a casos emblemáticos, como o do Burger King, que captou recursos emitindo CRA para financiar a compra de insumos, como carne para os hambúrgueres.

 

 

O que muda para os investidores

 

Uma dúvida natural que surge diante dessas mudanças é: como isso afeta os investidores que já possuem em suas carteiras títulos como LCI, LCA, CRI ou CRA? A resposta é tranquilizadora: nada muda.

 

As novas regras são aplicáveis apenas às emissões futuras desses instrumentos financeiros. Portanto, para quem já detém esses títulos, as condições permanecem inalteradas até o vencimento dos mesmos. Além disso, as emissões de CRI e CRA que já estão em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) não são afetadas por essas alterações.

 

Entretanto, é importante considerar que a restrição no lastro pode tornar os títulos isentos de imposto de renda mais escassos nos bancos e plataformas de investimento. Isso pode ter impacto não apenas nos investidores diretos, mas também nos fundos imobiliários (FIIs) e fiagros na B3 que investem em títulos de crédito isentos, como LCI e CRI.

 

Perspectivas e comentários do Banco Central

 

O Banco Central justifica essas medidas como uma maneira de aumentar a eficiência da política pública de suporte aos setores do agronegócio e imobiliário. O objetivo é garantir que os instrumentos financeiros isentos de imposto de renda estejam lastreados em operações compatíveis com as finalidades que justificaram sua criação. Dessa forma, espera-se contribuir para um mercado de crédito mais robusto.

 

Em nota oficial, o Banco Central enfatiza: "As medidas adotadas têm o intuito de aumentar a eficiência da política pública no suporte aos setores do agronegócio e imobiliário, assegurando que os referidos instrumentos sejam lastreados em operações compatíveis com as finalidades que justificaram a sua criação e contribuindo para um mercado de crédito mais robusto."

21 visualizações1 comentário

1 Comment


Guest
Feb 06

Excelente !!!

Like
bottom of page